[Astronomia Através da Janela] Outubro: vão Chover Meteoros

[Astronomia Através da Janela] Setembro com Noites de Vênus
01/09/2021
[Astronomia Através da Janela] Novembro Olha pro Céu
03/11/2021

[Astronomia Através da Janela] 

Outubro: vão Chover Meteoros!

 

Você já olhou para o céu à noite e viu um risco brilhante passando por alguns segundos? Por acaso fez um pedido? Esse risco nada mais é que um meteoro ou estrela cadente, que representa um pedacinho de rocha que viajou por nosso Sistema Solar por bilhões de anos e passou pela atmosfera da Terra. Ao colidir com nossa atmosfera, ele pode alcançar velocidade de 100.000 quilômetros por hora (o suficiente para fazer o trecho Rio de Janeiro-São Paulo em um pouco mais que 14  segundos), incendiando devido ao atrito com o ar e maravilhando os seus olhos. Independente de ter visto ou não, se prepare porque em outubro teremos 2 eventos com pico de atividades desses fenômenos: as Tauridas do Sul e as famosas Orionídas.

Convidamos também a todos, a fotografar esses eventos e enviá-los pra gente por e-mail ou através do formulário eletrônico.

Publicaremos suas fotografias aqui no site e nas redes sociais. Participe!

Imagem de Joyce Kreiss.

 

Agora, fique de olho nos destaques do mês:

 

Encontro de Mercúrio e a estrela Spica

Na primeira noite de outubro, teremos o encontro da estrela Spica, a mais brilhante da constelação de Virgem, com o planeta Mercúrio. Ele ocorrerá no horizonte oeste, no crepúsculo vespertino. Observar Mercúrio é um pouco difícil e exige cuidado extra com o uso de telescópios/binóculos pela sua proximidade com o Sol. Nunca aponte qualquer instrumento óptico  para o Sol! Para observar, prepare-se no final da tarde. Mercúrio e Spica estarão no céu até por volta das 18h30

 

 

Marte em conjunção com o Sol (dia 8)

 

Mercúrio em conjunção inferior com o Sol (dia 09)

 

Encontro Triplo: Lua, Vênus e Antares

No início da noite do dia 09, veremos o belo encontro do brilhante planeta Vênus com a Lua. Essa bela aproximação acontece na constelação de Escorpião, a oeste, no começo da noite. A Lua estará no início da fase crescente, com apenas um filete iluminado (cerca de 13% de sua superfície). Você ainda poderá ver na configuração a estrela Antares, a mais brilhante dessa constelação, marcante por sua coloração avermelhada. Mas prepare-se bem para não perder o espetáculo, pois os astros poderão ser vistos até por volta das 20h.

 

Chuva de meteoros Tauridas do Sul

Certo! Você que conhece bem as datas de chuvas de meteoros deve estar se perguntando: “mas a Táuridas do Sul não tem pico no começo de novembro?”. Sim, em geral, sim. Mas, segundo a Organização Internacional de Meteoros (IMO, da sigla em inglês), há novas evidências que indicam que o pico desta chuva acontece no dia 10 de outubro. De qualquer modo, chuvas de meteoros têm um pico, mas estão espalhadas em um período do ano. As Táuridas do Sul vão de 10 de setembro a 20 de novembro. Apesar de ser uma chuva com poucos meteoros por hora (5 meteoros/hora), um céu com uma  Lua crescente com apenas 20% de sua superfície iluminada, sendo que ela permanece visível apenas até 22h20min pode favorecer as observações. Prepare-se! Procure locais escuros, longe da cidade. Olhe a leste, na direção da constelação do Touro, a partir de 19h30, mas não perca a perspectiva de todo o céu ao tentar encontrar esses riscos brilhantes da chuva de meteoros no céu. Não é uma região fácil de encontrar no céu, pois não há estrelas brilhantes de fácil referência, mas se você esperar até às 22h as Plêiades já estarão visíveis no horizonte leste, e se você esticar o braço e espalmar a mão voltada para cima, com o polegar nas Plêiades, o ponto radiante estará na ponta do dedo mindinho.

 

A Dança da Lua, Saturno e Júpiter no céu

A partir do dia 13, é a vez da Lua fazer algumas configurações interessantes com os planetas gigantes do Sistema Solar, que estão em um ótimo momento para serem observados! No início da noite do dia 13, se olharmos para a posição mais alta do céu, será possível observar a conjunção entre o planeta Saturno e a Lua, na constelação de Capricórnio. Esses astros estarão bem próximos nesse dia. Já no dia 14, a Lua se posicionará entre Saturno e o planeta Júpiter, formando uma bela composição fotográfica. E na noite do dia 15, será possível ver a maior aproximação da Lua com o maior planeta do nosso Sistema Solar, Júpiter. 

 

Caso tenha um telescópio ou binóculos, com bom poder de ampliação, será possível observar as Luas de Júpiter, os Anéis de Saturno e as crateras lunares, tornando a observação nesses dias ainda mais incrível. Esses astros ficam visíveis no céu até o início da madrugada, por volta de 1h15min, na direção oeste. 
Não se esqueça de registrar essas conjunções e nos enviar sua foto! 

 

 

Vênus e Antares juntos no Céu

Desde o início do mês foi possível observar a aproximação do planeta Vênus da estrela supergigante avermelhada da constelação de Escorpião, Antares. No entanto, no dia 16, teremos a máxima aproximação desses astros, que estarão apenas com 1,5o de separação entre si. Vale lembrar que estes encontros são apenas aparentes no nosso céu! No espaço esses astros seguem extremamente distantes um do outro. Quem quiser observá-los e fotografá-los nessa data, já que a constelação de Escorpião possui um formato belíssimo, poderá acompanhá-los, à oeste, no começo da noite até às  21h.

 

 

Chuva de meteoros Orionidas

A Orionídas é uma chuva de meteoros muito conhecida pelo grande número de meteoros observados por hora (aproximadamente 20) e porque ela tem sua origem devida aos resíduos deixados pelo cometa Halley, que esteve próximo à Terra pela última vez em 1986. Ela tem seu pico de atividade na constelação de Órion (no dia 21) e por isso, sua designação. Porém, nesse ano teremos Lua cheia no céu, e por mais bela que a Lua cheia seja, ela nos atrapalha observar a chuva de meteoros. Isso acontece porque o intenso brilho da Lua ofusca os meteoros, bem menos brilhantes. A Orionídas e a constelação de Órion estarão visíveis a partir de 22h30, no horizonte leste. Para encontrar essa constelação basta procurar as “Três Marias”. O radiante, que é a região de onde os meteoros parecem surgir, estará próximo de uma estrela avermelhada dessa constelação, chamada Betelgeuse. Tenha paciência! Como toda chuva de meteoros, procure lugares afastados da cidade, longe de luzes artificiais. Torça para que o céu esteja limpo, sem nuvens. Bons céus!

 

 

Vênus em elongação máxima, a oeste.

Elongação máxima a oeste de Vênus (às 18h), observado ao anoitecer. Neste dia Vênus, em seu maior afastamento angular do Sol (cerca de 47º) poderá ser visto ao anoitecer, próximo ao horizonte oeste. Excelente época para vermos a “Estrela Dalva”, que nesta noite segue visível até por volta de 21h30. Observe a olho nu e faça belos registros fotográficos!

 

Constelações de destaque: Peixes, Virgem, Sagitário, Touro, Leão e Órion estarão em destaque.

 

Assista o Episódio de Dicas do Céu de Outubro de 2021 aqui:

#Valongo #Astronomia #UFRJ #Science #Astro #UniversidadePublica #AstroAtravesDaJanela #DesligueAsLuzes